Terça-feira, 2 de Junho de 2009

Também quero morrer

Como já tinha dito, se morreres quero morrer contigo. Morreste, saíste, desapareceste. Limito-me a morrer e perecer à vista de todos para que se lembrem que um dia existi. Já não há razões para ficar.

Até sempre...

 

FIM  DO  BLOG.

 

 

 

sinto-me:

publicado por Alma às 16:17
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 11 de Maio de 2009

Repost - O dia mais solitário da minha vida

 

 

sinto-me:
tags: ,

publicado por Alma às 05:39
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 20 de Novembro de 2008

Estou grávida


 


publicado por Alma às 22:00
link do post | comentar | favorito
Domingo, 28 de Setembro de 2008

O tamanho é importante.

Hoje escrevo sobre a importância do tamanho das partes íntimas masculinas.

As gajas sempre nos quiseram fazer crer, que o tamanho do pénis não é importante na hora H do dia D. Elas sabem que quase todos queremos um membro maior, mesmo que já seja grande. Assim, não sendo um factor relevante, o macho sente-se mais confiante e predisposto.

De igual forma, jamais me atreveria dizer a uma gaja, no fim daquela noite em que ainda não arranjamos queca, que as suas mamas são demasiado pequenas, mesmo que de peito tenha saído ao pai. Temos de dizer sempre "as tuas maminhas são do tamanho ideal...", ou então "não gosto de têtas grandes...". Não vá o Diabo tecê-las... Afinal mais vale uma têta na mão, que duas no sutiã....

 

sinto-me: satisfeito

publicado por Alma às 01:06
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 17 de Setembro de 2008

País dos Cromos

 

Neste país tudo é possível. Não tomei agora consciência desta realidade, pois já tenho idade suficiente para saber como certas coisas funcionam neste mundo, mas, mais uma vez, me lembrei do triste assunto.

Ao ligar a net e entrar no site do SAPO, deparo-me com uma notícia que dizia assim:

«Pinto da Costa vai receber indemnização do Estado»

«O Tribunal da Relação do Porto condenou o Estado português a pagar uma indemnização de 20 mil euros ao presidente do Futebol Clube do Porto, alvo de detenção ilegal no âmbito do caso Apito Dourado»

Confesso que quando era puto, até gostava de cromos. Eram cromos que se compravam no quiosque cá do sitio, vinham em carteirinhas de cinco ou seis e trocava-os com os amigos.

Hoje, depois de bastante crescidinho em todos os sentidos, sou obrigado a aturar cromos como os senhores Pinto da Costa, Alberto João Jardim e o Major Valentim Loureiro entre muitos outros.

Estes senhores conseguem fazer aquilo que não passaria pela cabeça do Diabo.

Afinal de contas, quem é que não disse ainda, que no processo "Casa Pia" as crianças iriam presas, e os senhores importantes seriam indemnizados pelo estado? (veremos)

Quem não disse ainda, que no caso "Apito Dourado",  os acusados seriam todos indemnizados?

Quem não disse ainda, que no caso "Saco Azul de Felgueiras", a dona Fátima Felgueiras seria indemnizada pelo estado? (veremos)

Quem não disse ainda, que no caso "Maddie", os inspectores da Polícia Judiciária e os Juízes seriam demitidos, e os McCann seriam largamente indemnizados por Portugal? (já vimos a 1ª parte)

Esta é a realidade do país dos cromos, e dos carneirinhos obedientes, que nos contentamos com "pão e circo" e, como somos um povo de brandos costumes, que tudo consente desde que não nos incomodem quando vemos futebol e novelas, está tudo bem.

Avé César, Heil Hitler, Imohteb, ...

sinto-me:

publicado por Alma às 01:42
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 6 de Setembro de 2008

Criancinhas

A criancinha quer Playstation. A gente dá.

A criancinha quer estrangular o gato. A gente deixa.

A criancinha berra porque não quer comer a sopa. A gente elimina-a da ementa e acaba tudo em festim de chocolate.

A criancinha quer bife e batatas fritas. Hambúrgueres muitos. Pizzas, umas tantas. Coca-Colas, às litradas. A gente olha para o lado e ela incha.

A criancinha quer camisola adidas e ténis nike. A gente dá porque a criancinha tem tanto direito como os colegas da escola e é perigoso ser diferente.

A criancinha quer ficar a ver televisão até tarde. A gente senta-a ao nosso lado no sofá e passa-lhe o comando.

A criancinha desata num berreiro no restaurante. A gente faz de conta e o berreiro continua.

Entretanto, a criancinha cresce. Faz-se projecto de homem ou mulher.

Desperta.

É então que a criancinha, já mais crescida, começa a pedir mesada, semanada, diária. E gasta metade do orçamento familiar em saídas, roupa da moda, jantares e bares.

A criancinha já estuda. Às vezes passa de ano, outras nem por isso. Mas não se pode pressioná-la porque ela já tem uma vida stressante, de convívio em convívio e de noitada em noitada.

A criancinha cresce a ver Morangos com Açúcar, cheia de pinta e tal, e torna-se mais exigente com os papás. Agora, já não lhe basta que eles estejam por perto. Convém que se comecem a chegar à frente na mota, no popó e numas férias à maneira.

A criancinha, entregue aos seus desejos e sem referências, inicia o processo de independência meramente informal. A rebeldia é de trazer por casa. Responde torto aos papás, põe a avó em sentido, suja e não lava, come e não limpa, desarruma e não arruma, as tarefas domésticas são «uma seca».

Um dia, na escola, o professor dá-lhe um berro, tenta em cinco minutos pôr nos eixos a criancinha que os papás abandonaram à sua sorte, mimo e umbiguismo. A criancinha, já crescidinha, fica traumatizada. Sente-se vítima de violência verbal e etc e tal.

Em casa, faz queixinhas, lamenta-se, chora. Os papás, arrepiados com a violência sobre as criancinhas de que a televisão fala e na dúvida entre a conta de um eventual psiquiatra e o derreter do ordenado em folias de hipermercado, correm para a escola e espetam duas bofetadas bem dadas no professor «que não tem nada que se armar em paizinho, pois quem sabe do meu filho sou eu».

A criancinha cresce. Cresce e cresce. Aos 30 anos, ainda será criancinha, continuará a viver na casa dos papás, a levar a gorda fatia do salário deles. Provavelmente, não terá um emprego. «Mas ao menos não anda para aí a fazer porcarias».

Não é este um fiel retrato da realidade dos bairros sociais, das escolas em zonas problemáticas, das famílias no fio da navalha?

Pois não, bem sei. Estou apenas a antecipar-me. Um dia destes, vão ser os paizinhos a ir parar ao hospital com um pontapé e um murro das criancinhas no olho esquerdo. E então teremos muitos congressos e debates para nos entretermos.

 

 

in Visão online
música: Drift And Die - Puddle Of Mudd

publicado por Alma às 00:01
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 1 de Setembro de 2008

Era preferivel ter usado preservativo...

 

 


publicado por Alma às 22:55
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quarta-feira, 27 de Agosto de 2008

A Morte de Folga

 

 


publicado por Alma às 02:17
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 13 de Agosto de 2008

Férias forçadas

Sim, leram bem o título! Estou de férias forçadas. Continuo a trabalhar como um mouro das 10 às 20h, mas estou de férias...
...das Gajas...iupiiiiiiiii

Finalmente, acompanhado apenas pela cadela, a B., gozo de férias "delas". O sossego é tal, que chego a adormecer ao computador, ou no sofá (e eu não gosto nadinha).

Evidentemente, a razão pela qual adormeço, é o cansaço de um dia de 9 horas de árduo trabalho. Não pensem que ando cansado fruto das noitadas. Não...! Nem tenho saído de casa...


Agora que estou de férias da Gaja e da mini-Gaja, tenho de tirar a barriguinha de miséria, e dar umas voltinhas por aí e ali. Por vezes até vou acolá!

Tenho de despedir-me do meu carrinho lindo que me acompanhou nos últimos dois anos (por um mero acaso, não haverá por aqui alguém que queira um Boxter de 2006, de garagem, muito estimado. Era de um padre e nunca andou a 200).

Tenho que desfilar de bar em bar, como os Mão Morta, enquanto faço os últimos piões retoques no carro para entregar.

Quinta-feira chega o brinquedo novo. Depois ponho aqui fotos.

Antevê-se um fim-de-semana de reboliço, pois tenho de desfilar novamente, mas com a nova máquina para lhe fazer a devida rodagem cóf, cóf.

Até porque estará novamente calor e um gajo tem de se hidratar. Ainda por cima, está provado que beber cerveja faz perder imensas calorias, dispensando, assim, a ida ao ginásio. Sim, leram bem, beber cerveja faz perder calorias.

Ora vejamos:

Pelas leis da termodinâmica, todos nós sabemos que uma caloria é a energia necessária para aquecer 1g de água em 1ºC (ex.: 21ºC para 22ºC).

Não é necessário ser nenhum génio para calcular que, se o ser humano beber um copo de água gelada (200ml ou 200g), aproximadamente a 0ºC, necessita de 200 calorias para aquecer em cada 1ºC esta água.

Para haver o equilíbrio térmico com a temperatura corporal, são necessárias então aproximadamente 7.400 calorias para que estes 200g de água alcancem os 37ºC da temperatura corporal (200g X 37ºC).

E, para manter esta temperatura, o corpo usa a única fonte de energia disponível: a gordura corporal.

Ou seja, ele precisa queimar gorduras para manter a temperatura corporal estável.
A termodinâmica não nos deixa mentir sobre esta dedução.

Assim, se uma pessoa beber um copo grande (aproximadamente 400ml, na temperatura de 0ºC) de cerveja, ela perde aproximadamente 14.800 calorias (400g x 37ºC).

Agora, não vamos esquecer de descontar as calorias da cerveja, aproximadamente 800 calorias para 400g.

Passando a régua, tem-se que uma pessoa perde aproximadamente 14.000 calorias com a ingestão de um copo de cerveja gelado.

Obviamente quanto mais gelada for a cerveja maior será a perda destas calorias.

Como deve estar claro a todos, isto é muito mais efectivo do que, por exemplo, andar de bicicleta ou correr, quando são queimadas apenas 1.000 calorias por hora.

Portanto pessoal, emagrecer é muito simples: basta beber cerveja bem gelada, em grandes quantidades e deixarmos a termodinâmica cuidar do resto.

Pelo menos vou tentar enquanto elas estiverem de férias. Podiam até ficar por lá mais uma semanita... ou duas... É que agora vão caber mais duas amigas no banco de trás... e toda a gente vai querer dar uma voltinha... Vá lá, fica mais uns diazinhos, ficas?

Fui a um bar fazer exercício e volto já...

 

sinto-me: livre como um passarinho
música: Budapeste - The Temple (Mão Morta)

publicado por Alma às 01:45
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 6 de Agosto de 2008

Guerra Universitária

«Tudo começou quando o pessoal da Faculdade de Direito resolveu colocar uma frase numa t-shirt que virou moda na Universidade:
" O teu namorado não faz Direito? Anda cá que eu faço".

Em seguida, o pessoal de Medicina largou a seguinte:
"Ele pode até fazer Direito, mas ninguém conhece o teu corpo melhor que eu."

O pessoal de Administração não deixou por menos:
“Não adianta conhecer o corpo, fazer Direito se não souber
Administrar o que tem"

O pessoal de Administração ficou bem na fita até que a turma de Agronomia apareceu com a seguinte frase:
"Uns conhecem bem, outros fazem direito e alguns sabem
administrar o que têm, mas plantar o milho como nós ninguém consegue!"

Então o pessoal de Marketing e Publicidade largou esta:
"De que adianta conhecer bem, fazer direito, saber administrar e plantar o milho, se depois não puder contar a toda a gente?"

A Engenharia, não se deu por perdida, e saiu-se com esta:
"De que adianta conhecer bem, fazer direito, saber
administrar, plantar o milho, e poder contar a toda a gente, se não tiver energia e potência para fazer várias vezes?"

Mas a frase que ficou e se tornou campeã foi a de Economia:
"De que adianta conhecer bem, fazer direito, saber administrar, plantar o milho, poder contar a toda a gente, ter energia e potência para fazer várias vezes, se a mulher gosta é de dinheiro?"

Ninguém discutiu durante algum tempo, até que, as meninas do curso de Nutricionismo se saíram muito bem com esta:
"De que adianta conhecer bem, fazer Direito, saber administrar, plantar o milho, poder contar a toda a gente, ter energia e potência para fazer várias vezes e, ter dinheiro... se, no final das contas... nós precisamos sempre de ensinar a “comer” !!!"»
                

                                             

Retirado da internet
sinto-me:

publicado por Alma às 23:48
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

Em Portugal

-Paguei 0.50€ por uma seringa na farmácia para dar um medicamento ao meu filho; se fosse drogado, não pagava nada.

-Uma adolescente de 16 anos pode fazer livremente um aborto mas não pode pôr um piercing.

-Na escola, um professor é agredido por um aluno. O professor nada pode fazer porque a sua progressão na carreira está dependente da nota que dá ao seu aluno.

-Um jovem de 18 anos recebe €200 do Estado para não trabalhar; um idoso recebe de reforma €236 depois de toda uma vida do trabalho.

-Um marido oferece um anel à sua mulher e tem de declarar a doação ao fisco.

-Um empregado de mesa tem de declarar as gorjetas ao fisco.

-O mesmo fisco penhora indevidamente o salário de um trabalhador e demora 3 anos a corrigir o erro.

-O Estado que queria gastar 6 mil milhões de euros no novo Aeroporto da Ota recusa-se a baixar impostos porque não tem dinheiro.

-Nas zonas mais problemáticas das áreas urbanas existe 1 polícia para cada 2 000 habitantes; o Governo diz que não precisa de mais polícias.

-Numa empreitada pública, os trabalhadores são todos imigrantes ilegais que recebem abaixo do salário mínimo e o Estado não fiscaliza.

-Um professor é sovado por um aluno e o Governo diz que a culpa é das causas sociais.

-Numa entrevista à televisão, o Primeiro-Ministro define a Política como 'A Arte de aprender a viver com a decepção'.

-O café da esquina fechou porque não tinha WC para homens, mulheres e empregados; no Fórum Montijo o WC da Pizza Hut fica a 100mts, nem tem local para lavar mãos.

-O governo incentiva as pessoas a procurarem energias alternativas ao petróleo e depois multa quem coloca óleo vegetal nos carros porque não paga ISP (Imposto sobre produtos petrolíferos).

-O ministério do ambiente incentiva o uso de meios alternativos ao combustível; no edifício do ministério do ambiente não há estacionamento para bicicletas nem se sabe de nenhum ministro que utilize a bicicleta.

-Nas prisões são distribuídas gratuitamente seringas por causa do HIV. Mas como entra droga nas prisões??!!

-No exame final de 12º ano és apanhado a copiar e chumbas o ano; o primeiro-ministro fez o exame de inglês técnico em casa e mandou-o por fax e é engenheiro.

-Um jovem de 14 mata um adulto; não tem idade para ir a tribunal. Um jovem de 15 leva uma chapada do pai por ter roubado dinheiro para droga; é violência doméstica.

-Uma família a quem uma casa ruiu e não tem dinheiro para comprar outra; o estado não tem dinheiro para fazer uma nova, tem de viver conforme podem. E 6 presos que mataram e violaram idosos, a viver numa sela de 4 e sem wc privado, não estão a viver condignamente e a associação de direitos humanos faz queixa ao tribunal europeu.

-Aos militares que combateram em África a mando do governo da época não lhes é reconhecido nenhuma causa nem direito de guerra; o primeiro-ministro elogia as tropas que estão em defesa da pátria no KOSOVO, AFEGANISTÃO E IRAQUE.

-Começas a descontar em Janeiro o IRS e só vais receber o excesso em Agosto do ano que vem; não pagas as finanças a tempo e horas, passado um dia já estás a pagar juros.

-Fechas a janela da tua varanda e estás a fazer uma obra ilegal; constrói-se um bairro de lata e ninguém vê.

-Se o teu filho não tem cabeça para a escola e com 14 anos pões a trabalhar contigo num oficio respeitável, é exploração do trabalho infantil; se és artista e o teu filho com 7 anos participa em gravações de telenovelas 8 horas por dia ou mais a criança tem muito talento, sai ao pai ou à mãe.

-O primeiro-ministro diz que o serviço de saúde com as medidas tomadas está mais prático e eficiente; não há registo de na última década alguém ter visto, ministro, esposa ou enteados nos SAPs.

sinto-me: muito envergonhado
música: Between Angels and Insects - Papa Roach

publicado por Alma às 02:42
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Segunda-feira, 4 de Agosto de 2008

Rodagem do filme "Fraqueza"

No passado dia 24 de Junho, publiquei um post intitulado "Serviço público", onde transcrevia a carta de Ricardo Matos à sua família e amigos.

Posteriormente foi-me pedido por outros autores, autorização para publicar a mesma carta nos seus blogs.

É-me pedido agora, pela empresa Avexeko - Sociedade Produtora de Audiovisuais, os contactos da família e amigos de Ricardo Matos, para que seja autorizada a realização de um filme intitulado "Fraqueza", a rodar em Braga, baseado na referida carta.

Como já não disponho de qualquer contacto dos mesmos, lanço aqui um pedido de ajuda a quem tenha qualquer informação relevante, que conduza à família de Ricardo Matos.

Obrigado.

 


publicado por Alma às 13:42
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 25 de Julho de 2008

E ainda não viram nada...

Se por acaso alguém souber onde fica esta curva, por favor que me diga porque não quero passar lá, nem a pé.

Livra...

 

sinto-me: com medo, muito medo
música: Drive - Incubus

publicado por Alma às 23:44
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 24 de Julho de 2008

Rapei o cabelo

Ontem de tarde fui ao barbeiro cá da parvónia, para ver se ele era capaz de me pôr menos horroroso. Depois de torcer várias vezes o nariz, pegou na máquina eléctrica de corte, aplicou-lhe o pente Nº1 (cabelo com 1 milímetro) e começou a cortar. Para grandes males, grandes remédios. Findo o servicinho, olhei-me ao espelho para ver se era desta que me tornava um pouco narcisista. Nada. Apenas me achei ainda mais careca, com aquela pele toda à mostra esperando pelo bronze solar. Estão a ver o que é, quase pente zero? Assim estou eu.

À noite fui jantar a casa com a Gaja, a mini-Gaja e a B. Sim, porque ainda não matei a Gaja. Ainda.

Depois da janta, houve lugar a brincadeiras infantis com a mini-Gaja e a B. Por volta das 22 horas, e depois de várias negociações, com direito a cedências bilaterais, conseguimos convencer a mini-Gaja a ir para a caminha.

Quando a férinha estava domada, fui dar a voltinha higiénica com a B. Quando regressei a casa, a Gaja já estava alapada na net.

Passamos o serão juntos, até que ela se ausentou para ressonar sonoramente.

Hoje, levantamo-nos em simultâneo e eu fui levar a mini-Gaja à escolinha, porque era mais um dia de praia para a criançada.

De regresso a casa, vou levar novamente a B. à rua e fico com a Gaja até às 10, hora em que vou trabalhar.

Às 12:30 fui almoçar, novamente com a Gaja, e passamos a tarde juntos, até que tive de ir buscar a pirralha à escola.

Chegados a casa, a Gaja diz para a mini-Gaja:
- J., o pai cortou o cabelo. Achas que está mais bonito?

Ao que ela responde:
-Sim, está bonito.

Então a Gaja perguntou-me:
-Gajo, hoje cortaste o cabelo?

??????????????????

Helloooooo?!?!?!?!?!?!?!

Foi ONTEM que rapei o cabelo, e não hoje.
Então esta Gaja esteve comigo os dois dias e não reparou em mim?
E diz ela que não lhe ligo... e que leio primeiro os blogs alheios e só depois o dela... e que isto, e que aquilo...

Gajo sofre!     Ò se sofre...

sinto-me: rapado e ignorado
música: Máquina zero - Rui Veloso

publicado por Alma às 22:01
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
Terça-feira, 22 de Julho de 2008

Um dia destes mato-a

Há dias, a Gaja que estorva cá em casa, publicou um novo post no seu blog. Nesse mesmo dia, quando cheguei a casa para jantar ela perguntou-me se já tinha ido ler a sua mais recente obra de arte. Claro que não tinha lido porque tinha acabado de chegar, mas fiquei curioso. Depois da janta, de deitar a mini-Gaja e de levar a B. à rua para o seu habitual passeio higiénico, liguei o computador. Vim ao meu blog responder aos comentários, li os mails mais importantes, quando toca o telefone. Era o M. que queria experimentar a carrinha para a comprar. Combinei com ele para dali a trinta minutos no café do costume. Tomei banhoca e saí.

Quando cheguei a casa a Gaja já estava na cama e resolvi matar a curiosidade lendo o post dela. Quando estava a ler o post, magnífico por sinal, a Gaja sai do quarto e vem ter comigo. Quando se acercou de mim, perguntou-me se não tinha nada para lhe dizer. Como ainda não tinha acabado de ler o post, disse-lhe que não. Nesse momento ela, ao seu estilo, começa a disparatar dizendo que eu leio sempre o blog da gaja A, do gajo B e o blog C antes de ler o dela. Tremenda discussão que até tiveram de vir acudir os vizinhos, os bombeiros, a polícia, a protecção civil, o padre, o barbeiro e o farmacêutico. Só não apareceu o presidente da junta porque estava ausente no estrangeiro. Não ficando contente, a Gaja, ainda teve a lata de me confiscar o computador, perguntando com quem estava eu a falar no messenger. Por acaso o messenger estava ligado, para que a janelinha de chat aqui do blog funcione, mas não falava com ninguém. Uma coisa é certa, vasculhou o computador todo como uma cadela pisteira.

No passado dia 16, publiquei um post aqui no blog, intitulado "Hino Da Igreja Universal Do Reino Dos Bêbados". Ontem, a Gaja teve o descaramento de me dizer: "hoje li o teu post dos bêbados e está um espectáculo". Ora desde o dia 16 até ontem que foram 21, passaram-se 5 dias, e a gaja ainda admitiu que tinha acabado de o ler.

Será que quando ela está no messenger de manhã, à tarde e à noite, todos os dias a falar com as amigas e AMIGOS, não tinha tido ainda tempo para o ler?

Um dia destes mato-a...

 

sinto-me: a perder as estribeiras
música: Metallica - Die, die my darling

publicado por Alma às 22:08
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 21 de Julho de 2008

Namorado atrasado

Depois de esperar uma hora e meia pelo namorado para irem jantar, a rapariga decidiu que não valia a pena esperar mais.
Tirou a roupa de gala e vestiu o pijama, fez pipocas e sentou-se no sofá a ver televisão.
Em seguida, a campainha toca.
Ela abre a porta e o namorado diz:
- É sempre a mesma coisa... Eu até chego duas horas atrasado e tu ainda não estás pronta!

sinto-me:
música: Alive - Sub7even

publicado por Alma às 23:15
link do post | comentar | favorito

Como um cão

Vou pedir o divórcio. Sim vou mandar a gaja plantar batatas ou cebolas. Se preferir até podem ser rabanetes.

Eu explico:

Então não é que a gaja que habita cá em casa me trata como um cão?

É verdade. A gaja deve pensar que ladro ou tenho pulgas. Tudo bem, até sou peludo, fofinho, bonito, tenho orelhas grandes mas não tenho cauda. Não vamos exagerar tá bem? Como um cão...?

Não é que ela me maltrate (só um bocadinho), mas quer sempre que me comporte como tal.

Quer que seja obediente, meigo, protector, companheiro, etc. Atá aqui tudo bem. Mas querer que seja FIEL? Santa paciência...

sinto-me:
música: Mundo cão - O caixão da razão

publicado por Alma às 22:18
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito

De que falam os homens?

          

Gaja 1: Gostava de saber no que falam os homens quando estão uns com os outros...

 

Gaja 2: Ora!... Naturalmente no mesmo que nós.                     

Gaja 1: Não me admiro nada. São todos uns patifes...

 

 


publicado por Alma às 17:08
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Quarta-feira, 16 de Julho de 2008

Hino Da Igreja Universal Do Reino Dos Bêbados

Meu figo está borrado,
Ferindo o coração,
A cachaça já se apoderou de mim!
Escuta meu irmão, por que bebes tanto assim?
Bebe um copo e deixa outro para mim!

Se não beber todo
Eu vos ajudarei,
Se não secar o litro,
Eu secarei, secarei
Eu secarei.
A igreja diz assim:
Bebe um copo e deixa outro para mim!

 

 

 

sinto-me:

publicado por Alma às 03:27
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 15 de Julho de 2008

Violência policial

Sai um gajo de um bar, depois de beber uns canecos e canecas, dirige-se ao chaço e conduz devagar. Sim devagar e com todos os requisitos de uma condução exemplar.

Depois de umas curvas bem feitas, é mandado parar pela polícia. Até aqui tudo bem. O problema é que o Sr. Agente da Autoridade é daqueles violentos. Porrada por tudo e nada.

Na esquadra, agride o condutor empurrando-o contra a parede. Foi tal a força usada que a parede ganhou um buraco novo.

Não se contentando, o Sr. Agente ainda empurrou violentamente o condutor pela porta até cair.

Casos como este devem ser do conhecimento público, para sabermos com o que podemos contar dentro de uma esquadra.

Podem também ver este

sinto-me: insensível
música: The Police - Message in a Bottle

publicado por Alma às 02:05
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 14 de Julho de 2008

Extraterrestres

Em 1997,  um teólogo do Vaticano afirmou que, “criados por Deus e tendo as suas falhas, os extraterrestres também precisam de redenção através das palavras salvadoras de Jesus Cristo”

No ano seguinte o Dicionário do Vaticano passou a incluir a expressão em latim “Res inexplicata volans” – coisa voadora inexplicável.

O Director do Observatório Astronómico do Vaticano até 2006, disse que “Se for possível encontrar civilizações noutros planetas, e se for factível comunicar-se com elas, deveríamos tentar enviar missionários para salvá-los, como fizemos no passado quando novas terras foram descobertas.”.
Será que o Vaticano quer fazer a evangelização do séc. XXI, à semelhança da que fizemos juntamente com Espanha no passado?

O actual Director do Observatório do Vaticano, afirma agora em entrevista, que "Tal como existe uma multiplicidade de criaturas na Terra, poderá haver outros seres, igualmente inteligentes, criados por Deus"

São agora divulgadas imagens captadas em Paracatu no Brasil, de um extraterrestre muito semelhante aos Terráqueos, não representando no entanto qualquer perigo para a Humanidade.

sinto-me: extraterrestre ou maluco
música: Alien Ant Farm - Moovies

publicado por Alma às 03:47
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sábado, 12 de Julho de 2008

Manifesto anti-LOL

Como a maioria já constatou, o mundo dos blogs, msn messenger, hi5 entre outros, é propicio a relacionamentos vividos com uma intensidade dita "fora do normal". Ou se ama loucamente, ou se zangam as comadres todas... Enfim...

Em quase todos os meios já referidos, é usual a utilização de símbolos como "lol" ou então ":-)" entre muitos outros; emoticons como ou outros disponíveis nos blogs do sapo ou msn messenger; piscadelas e outros tiques quaisquer; ícones expressivos; atalhos do teclado e de estrada; etc.

Há quem os adore, e não consiga fazer uma frase sem dois ou três "lol". Por lol vezes lol as lol frases lol ficam lol mais lol ou lol menos lol como lol esta lol que lol acabei lol de lol escrever lol . LOL.

Ufffffffffa, tanto lol. Nunca na minha já longa carreira cybernautica desde os chats, tinha escrito tantos lol como hoje. Mas vou aproveitar, até porque fico ainda com mais raiva dos lol.

Confesso que não gosto deles, pronto. Dá uma trabalheira enorme escreve-los ou procura-los na lista, que tem de ser previamente aberta. Agora imaginem um gajo num dia de calor, em que tenho de me hidratar, fumo sabe-se lá o quê, até sou vesgo de nascença... ainda tenho de procurar ecomotions numa minuscula lista? Recuso-me!

Quem está habituado a interagir comigo no mundo cybernautico, já sabe que os não uso por não nutrir qualquer simpatia pelos mesmos.

O problema é quando o meu interlocutor desconhece este meu asco pelos ditos-cujos. Já me aconteceu de estar a escrever algo cómico ou alguma boca não foleira, em que me rio às gargalhadas e com a mais nobre das intenções, e acabo por ser mal interpretado porque a frase fica com um ar sério sem lol.

Há poucos dias, fui fazer a minha habitual visita a um blog muito bom, o qual continha um post sobre depilação púbica masculina. Um magnífico post por sinal.

Tinha frases como "depilou os tintins", "minhas partes", "meus ovinhos", "zona do tomatal", "esticou o saquinho", "puta que te pariu", "sr. esquerdo e o sr. direito", "pendurezas", "molhei a salada", "merda atrás de merda", "passei nos tomates", "cowboy cagado", "encostar os tomates maduros" e "pentelhos tinham saido pelas raizes".

Outros posts do mesmo blog continham também "cornos e cornudos", "paneleirices", "um gigantesco bolo fecal", "merdol", "peido com casca" e "anormal de merda".

Mas centremo-nos no post sobre a dita depilação púbica masculina.
Depois de ler o referido post, e ao ler tais frases, pensei que poderia fazer um comentário engraçado usando, igualmente, o mesmo tipo de linguagem.

O meu comentário dizia que também faço depilação no mesmo local,  trabalho feito numa esteticista, e referi também que a dita senhora era "bem boa". Como o post continha "pentelhos tinham saido pelas raizes", referi-ma à zona como "pentilheira".

Mais uma vez os lol foram esquecidos.
Mais uma vez sofri na pele o "lápis azul".
Pois é, o meu comentário sofreu censura e não foi publicado, alegando que era "ofensivo", "despropositado" e "porco".

Não creio, mas se assim fôr, serve este post para me redimir do meu pecado (não usar lol), e pedir desculpas ao autor do blog em questão.

sinto-me: Não tenho sentimentos
música: Feelings - The Offspring

publicado por Alma às 02:10
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Sexta-feira, 11 de Julho de 2008

Profissional do "sequesso"

Já não se pode ser profissional do "sequesso". A crise das cobranças difíceis já chegou à mais velha profissão do mundo.

Na minha modesta opinião, acho que nenhum tem razão. Ele só quer dar 5 alegando caridade, mas ela reclama 30.

Só 5 não é justo porque eles contrataram 30, logo é legitimo que ela o acuse de não honrar a sua palavra.

De igual forma, acho que 30 será um preço despropositado, tendo em conta o serviço prestado e as qualidades da profissional em questão.

Digam de vossa justiça.


publicado por Alma às 02:25
link do post | comentar | favorito

Mostra-me como viver

Mesmo acordando com o pôr-do-sol, fazendo tudo bem, não pude comprar uma noite de sono. E nas noites angustiantes, sob satélites cujas peças são roubadas, um telefone no meu coração.Alguém que me traga um padre, para pôr a minha mente na cama. Este toque na minha cabeça, será isto uma cura ou uma doença?
Pregos nas minhas mãos, presente do meu Criador. Tu deste-me a vida, agora mostra-me como viver.
E depois do nascimento, na silenciosa Terra, deixa que as manchas me façam recordar de ti. Pensavas que tinhas feito um homem. É melhor que repenses, antes que o meu papel te defina.
E nas tuas mãos impacientes eu aterrarei, e escaparei da minha própria pele. E nas tuas horas finais eu estarei... pronto para começar.


publicado por Alma às 01:24
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 10 de Julho de 2008

Boa cumómilho...

 

 

sinto-me:

publicado por Alma às 23:57
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 9 de Julho de 2008

Por trás dos olhos azuis

No one knows what it's like
To be the bad man
To be the sad man
Behind blue eyes
And no one knows
What it's like to be hated
To be fated to telling only lies

But my dreams they aren't as empty
As my conscience seems to be
I have hours, only lonely
My love is vengeance
That's never free

No one knows what its like
To feel these feelings
Like i do, and i blame you!
No one bites back as hard
On their anger
None of my pain and woe
Can show through

But my dreams they aren't as empty
As my conscience seems to be
I have hours, only lonely
My love is vengeance
That's never free

Discover l.i.m.p. say it

No one knows what its like
To be mistreated, to be defeated
Behind blue eyes
No one knows how to say
That they're sorry and don't worry
I'm not telling lies

But my dreams they aren't as empty
As my conscience seems to be
I have hours, only lonely
My love is vengeance
That's never free

No one knows what its like
To be the bad man, to be the sad man
Behind blue eyes.

 

música: Behind Blue Eyes - Limp Bizkit (The Who)

publicado por Alma às 00:59
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Julho de 2008

Bicicletas defeituosas

Deixo-vos alguns exemplos de bicicletas com defeitos de fábrica, que tornam muito difícil a sua normal condução.

Divirtam-se e não se esqueçam de levantar o som nos videos.

 

 

 

 

 

 

sinto-me: com vontade de beber algumas
música: Aviões do Forró - Beber, cair e levantar

publicado por Alma às 01:48
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Domingo, 29 de Junho de 2008

Como é possível...

 ...no Séc. XXI ainda haver quem acredite em bruxas? O que mais me choca, é ver pessoas com nível académico superior acreditar em feitiçarias, mau olhado, mal de inveja, corpo aberto, rezinhas, defumadouros, espiritos, visões e outras coisas que nem sei descrever.

Se fossem só os velhotes, até fazia um esforço para compreender, mas ver os novos acreditar nessas coisas é triste.

A minha avó, quando tinha 90 anos, já estava xéxé e dizia que ouvia no sotão de casa as almas penadas.

Depois de toda a família a tentar demover sem exito de tais ideias, a velhota disse que havia um padre num determinado sitio, que sabia expulsar os demónios. Lá foi o meu pai e o meu tio falar com o dito padreco, para ver se acalmavam a velha. O padre disse que resolvia o problema, mas tinha de estar alguém no sotão com um pau para fazer barulho.

Chegado o dia combinado, lá aparece o padre com um ar sinistro e cara de poucos amigos. Depois de umas rezas em latim, ordenou aos espíritos para abandonar a casa, e então a pessoa que estava no sotão bateu com o pau no chão de madeira provocando um arrepiante barulho.

Então a velha desse:

-Estão a ver como eu tinha razão? Havia "coisa" lá em cima!

A partir desse dia nunca mais ela ouviu o que quer que fosse...

 

sinto-me:
música: The Devil Comes Back to Georgia - The Charlie Daniels Band

publicado por Alma às 20:50
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Sexta-feira, 27 de Junho de 2008

Através dos olhos de rubi

Dissimula sempre, e atrasa-me com incertezas
A tua inocência é preciosa, a tua inocência é morte
A tua inocência é tudo que tenho
Respirando submersa, e vivendo numa bolha
E se tu deres uma reviravolta no teu amor
Os segredos dos teus sonhos
Podes descobrir que o teu amor se foi
E não é bem o que parecia
Aparentando desaparecer
Sob todos os teus taciturnos temores
Eu acredito no nunca, eu acredito no até ao fim
Mas acreditar não é observar, acreditar é só um pouco de fé
E fé não te ajudará a escapar
E com este anel esposo a verdade
E com este anel esposo o momento
E com este anel finjo-me de morto
Mas ninguém está a pedir a verdade, então deixa-me dizer
Se deres uma reviravolta no teu amor
Os segredos dos teus sonhos
Podes descobrir que o teu amor se foi
E não é bem o que parecia
Aparentando desaparecer
Sob todos os teus taciturnos temores
Às revelações da juventude de ar presunçoso
Ninguém virá para te salvar
Então expressa a tua paz nos murmúrios esboçados
Mas a juventude é desperdiçada nos jovens
A tua força é a minha fraqueza, a tua fraqueza o meu ódio
O meu amor por ti simplesmente inexplicável
Porque estamos eternamente congelados, para sempre belos
Para sempre perdidos dentro de nós mesmos
A noite veio para nos preservar jovens

música: Thru the eyes of ruby - The Smashing Pumpkins

publicado por Alma às 12:30
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Quinta-feira, 26 de Junho de 2008

Como uma pedra

Numa tarde sombria
Num quarto cheio de vazio
Ao lado de uma auto-estrada, eu confesso
Eu estava perdido nas páginas
De um livro cheio de morte
A ler como nós morreremos sozinhos
E se nós formos bons, seremos enterrados para descansar
Em qualquer lugar onde queiramos ir

Na tua casa, eu anseio estar
De habitação em habitação, pacientemente
Vou esperar lá por ti
Como uma pedra, vou esperar lá por ti
Sozinho

E no meu leito de morte, vou orar
Aos deuses e aos anjos
Como um pagão, a qualquer um
Que me levar para o céu
A um lugar que recordo
Eu estive lá há muito tempo
O céu estava roxo
O vinho foi extraído
E lá tu enganaste-me

Na tua casa, eu anseio estar
De habitação em habitação, pacientemente
Vou esperar lá por ti
Como uma pedra, vou esperar lá por ti
Sozinho

E continuei a ler
Até se acabar o dia
E eu sinto-me, pesaroso
Por todas as coisas que fiz
Por tudo que abençoei
E tudo o que eu tratei injustamente
Em sonhos, até à minha morte
Eu continuarei a vaguear

Na tua casa, eu anseio estar
De habitação em habitação, pacientemente
Vou esperar lá por ti
Como uma pedra, vou esperar lá por ti
Sozinho

 

música: Like a Stone - Audioslave

publicado por Alma às 01:41
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 25 de Junho de 2008

O que tu és

Quando me quiseste
Fui ter contigo
Quando quiseste outro alguém
Afastei-me
Quando pediste luz
Atirei-me ao fogo
Se eu me for embora
Sei que encontrarás outro escravo

Pois agora sou livre do que tu queres
Agora sou livre do que precisas
Agora sou livre do que tu és

Quando quiseste sangue
Cortei as minhas veias
Quando quiseste amor
Sangrei novamente
Agora que eu me enchi de ti
Abandonar-te-ei para sempre
E aqui vou eu embora
Sei que encontrarás outro escravo

Agora sou livre do que tu queres
Agora sou livre do que precisas
Agora sou livre do que tu és

Então eu tive uma visão
Quando tu chegaste
Eu dei-te tudo
Mas então tu quiseste mais!

Agora sou livre do que tu queres
Agora sou livre do que precisas
Agora sou livre do que tu és

 

música: What you are - Audioslave

publicado por Alma às 02:35
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 24 de Junho de 2008

Serviço público

Deixo-vos uma carta que recebi de uma amiga, em que conta o que aconteceu a um amigo seu.

 

"Olá a todos
Envio-vos uma carta escrita por um amigo meu que faleceu no mês passado.

Ele escreveu esta mensagem poucos dias antes de morrer e pediu para divulgá-la.
O texto é extenso, mas penso que vale a pena ler até ao fim.
Não é nada de novo, simplesmente aconteceu com um amigo.
Eu não o via há uns 7 anos e também nunca mais falei com ele. A realidade é que também nunca mais vou falar.
O Ricardo tinha 35 anos, morreu novo, a causa da morte foi a sua inconsciência.
Pediu para divulgar a mensagem aos seus amigos e aos amigos dos seus amigos.
Penso que é importante não deixarmos passar em branco.
Beijos para todos"

 

 

Carta do Ricardo:

 

"A TODOS OS MEUS AMIGOS
E AOS AMIGOS DOS MEUS AMIGOS

Chamo-me Ricardo Matos, tenho 35 anos e não sei se faço os 36!

Irónico? Não. Sou realista… e já vão perceber porquê.

Sou casado (em união de facto, o que para mim é a mesma coisa) há 6 anos. Um casamento feliz, vários desentendimentos ao longo deste tempo, mas nada que possa ter posto em risco os sentimentos fortes e recíprocos entre mim e a mulher da minha vida – a Paula. A prova está nos 2 seres mais importantes do mundo para mim – os meus piolhinhos – Nádia e André.

A Nádia nasceu 1 ano depois de nos juntarmos – veio alterar por completo a nossa vida – os serões com os amigos passaram a ser em casa, o Bairro Alto e o Lux passaram para 2º plano. Mas não fez mal, pois a nossa maior alegria era partilhar todos os momentos com a nossa filhota. Cada gracinha, cada progresso do seu crescimento tinha que ser vivido pelos 2, ou sentiríamos inveja um do outro (no bom sentido).

Passaram 3 anos e nasceu o André. Espevitado e muito manhoso, sempre foi um terror, desde o dia em que nasceu. Veio alegrar ainda mais a nossa vida.

Antes de nascer o André, passei por um período complicado. Eu e a Paula discutíamos muito, a gravidez dela foi complicada, ela passou muito mal, o humor dela alterou-se completamente, teve algumas complicações e ficou de baixa a partir do 4º mês de gravidez… e eu não tive paciência nem coragem para a apoiar. Eu e a Paula chegávamos a discutir sobre quem deveria levar ou ir buscar a Nádia ao infantário. Eu achava que ela deveria fazê-lo por estar em casa “sem fazer nada”, ela dizia-me com toda a razão (hoje admito), que se estava de baixa, por algum motivo era. Não podia fazer esforços nem pegar em pesos, mas eu, no meu mais puro egoísmo, nunca parei para pensar. Eu não fui um bom marido, nem um bom pai, optei pelo caminho mais fácil e refugiei-me nos meus amigos, na noite, nos copos… O ambiente em casa ficou de cortar à faca, tudo era problema para a Paula, em contrapartida, lá fora tudo era maravilhoso, não havia stress
com nada, eu era solicitado pelos meus amigos, ninguém fazia perguntas, ninguém me criticava, tudo era perfeito!!!

Até que um dia, numa das minhas saídas nocturnas, conheci mais
profundamente uma das amigas da noite: o nome dela era Mónica, tinha 25 anos, não era propriamente bonita, mas era aquilo que se chama “um chuchusinho”. Até esse dia, brincávamos um com o outro, provocávamonos mutuamente, chegámos até a trocar uns beijinhos inocentes, nada de importante. Mas nessa noite, foi diferente, eu tinha vontade de extravasar, não me apetecia pensar na minha vida actual, naquele momento, rejeitei completamente pensamentos sobre a minha vida, a minha mulher, a minha filha… o meu filho que vinha a caminho. Acabei a noite num hotel, achando que o meu acto era apenas um desabafo, pois se a minha vida estava virada do avesso, que mal fazia tentar alegrar-me um pouco?!

Cheguei a casa à hora do almoço, deparei-me com a cara da minha mulher, a cara de quem tinha passado a noite em branco, angustiada e triste. A minha filha não entendia nada, apenas ficou feliz por ver o pai, sem perceber porque é que ele passou a noite fora.

Desculpei-me com os copos, arranjei o álibi perfeito, disse que bebi demais, não estava em condições de conduzir e fiquei a dormir no carro, juntamente com um amigo.

Não sei se a Paula acreditou. Só sei que não disse mais nada. Eu senti-me mal, mal por mentir, mal porque senti nojo de mim próprio, pelo que tinha acabado de fazer. Uma noite perfeita acabou num peso brutal na minha consciência. A Paula não merecia nada do que eu tinha feito.

O tempo foi passando, as mágoas foram-se atenuando, mas as coisas entre mim e a Paula nunca mais foram as mesmas. Até que nasceu o André. Aí, baixámos as armas por completo e prometemos um ao outro que nunca mais íamos deixar as coisas chegar à exaustão. Éramos uma família e tínhamos que lutar por ela, por nós e principalmente pelos nossos filhotes.

Esqueci o assunto, “redimi-me dos meus pecados”, dedicando-me à minha família. Mas sempre que me olhava ao espelho, sentia-me um cobarde pela traição e por não ter assumido os meus actos. Mas também, isso poderia estragar tudo. Era melhor ninguém saber de nada.

Há cerca de um ano atrás, a Paula foi ao médico, por causa de umas dores que andava a sentir. Fez exames e detectaram que tinha quistos nos ovários. Teve que ser operada e para tal, foi submetida a uma série de análises – prática comum antes de uma cirurgia. Entre as análises estava a avaliação sobre o HIV. Qual o problema? Nenhum. Nunca poderia acusar nada… mas acusou. A Paula estava infectada com o vírus da sida e a tempestade caiu de novo nas nossas vidas.

Tive que admitir o meu erro e automaticamente, fiz também análises.
Estava também infectado, fui eu o causador de tudo, de certeza absoluta.
Lembrei-me da inconsciência daquela noite, de tudo o que fiz e do que não fiz. Como é que eu pude fazer o que fiz sem usar preservativo, com uma pessoa que eu conhecia há tão pouco tempo. Mas tinha tão bom aspecto… quem haveria de dizer…

Percebi também porque é que os antibióticos que andava a tomar não faziam efeito como deviam.

Estraguei a minha vida, a vida da minha mulher, dos meus filhos, dos meus pais, de toda a família. A Paula ficou portadora do vírus, por minha culpa. A lição que aprendi, a um custo tão elevado foi que o amor vence tudo. A Paula deu-me uma chapada psicológica que eu nunca vou esquecer.
Perdoou o que eu lhe fiz e tem-me proporcionado os melhores momentos da minha vida.

Hoje, estou deitado numa cama, sem fazer esforços. Estou com uma broncopneumonia grave, o meu organismo não responde aos tratamentos, não sei quantos dias vou durar.

Se me safar desta vez, vou continuar a viver cada momento como se fosse único.

Estou angustiado por não haver nada a fazer, pelas consequências do meu acto inconsciente.

Quanto à minha amiga, a Mónica, perdi-lhe o rasto, tentei contactá-la logo que aconteceu tudo, mas nunca atendeu. Será que sabia o que tinha?
Quantas mais pessoas teriam a mesma coisa? Estas são perguntas para as quais nunca vou ter resposta.

Percebi a importância da vida, que, se tivesse uma 2ª oportunidade, nunca desperdiçaria os melhores momentos, as gracinhas dos meus filhos, o amor da minha mulher.

Porque escrevo?

Porque quero passar a mensagem a todos os meus amigos e a todos os amigos dos meus amigos.

Eu não tive uma 2ª chance, não pude voltar atrás, estraguei tudo.

Por isso peço-vos:

Não desperdicem as oportunidades da vida.

Ponderem sobre o que é mais importante para vocês.

Quando “brincarem” com alguém, conhecido ou desconhecido, por mais confiança que possam ter, protejam-se. O bom aspecto das pessoas não indica se estão ou não contaminadas. Cuidado com as caras bonitas (isto é válido também para as mulheres, claro).

Mesmo com protecção, façam o teste HIV, porque nunca se sabe.

Quando o fizerem, se estiverem a trair alguém como eu (custa muito admitir, mas foi mesmo traição o que eu cometi), cuidado, pensem que não podem estragar mais ainda a vida das pessoas.

Eu não consegui voltar atrás mas quero que o meu caso sirva de exemplo.

Não vou chegar aos 36 anos, vou deixar para trás uma história de vida muito bonita, os meus filhos, a minha mulher, toda a minha vida. Eles vão ficar marcados para a vida toda, principalmente a Paula que tem a vida dela estragada à custa da minha irresponsabilidade.

Peço que não escondam nada dos meus filhos, quero que lhes contem tudo o que o pai fez, que lhes mostrem esta carta, quando puderem entender.

Perdi o rasto a muitos amigos de escola, da faculdade e de outros andamentos. Por isso mesmo, quero pedir a quem tem esses contactos, que forme uma corrente e mostre a minha mensagem.

O meu exemplo tem que servir para alguma coisa. Como não posso viver, pelo menos a minha morte poderá evitar outras, assim o espero.

Às pessoas que me conhecem, provavelmente vão ler a mensagem depois da minha morte: nunca tive inimigos por isso posso dizer que tive todo o prazer em vos conhecer, em ser vosso colega, vosso amigo… não chorem a minha morte, ou se chorarem, sorriam ao mesmo tempo e pensem que a vida é maravilhosa, basta nós querermos.

Por último, peço a todos os que lerem a minha mensagem, que pensem sobre o significado de curtir a vida.

Curtir a vida não é fazer o que eu fiz. Pensem muito nisso.

CURTAM, PROTEJAM-SE E VIVAM FELIZES!!!

Com saudades da vida

Ricardo Matos

Lisboa, 27 de Fevereiro de 2008"


publicado por Alma às 00:13
link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
Quinta-feira, 19 de Junho de 2008

Weatherman


I have my ears to
Hear what people say
I have my eyes to
See the suffering
I have a brain to
Use it every day
But who are you?

I have a nose to
Smell the sweetest things
I have my feelings
To feel the summer wind
I have my own taste
To decide what I would like
But who are you?

I'm just the weatherman
I make the sun and rain and the colourful rainbow
I am a lucky man
I can freeze my pain if I feel that way

I have my own way
To go against your will
I'm able to dream
Of mountains full of cream
I shall have my wish
That all my dreams come true
But who are you

 

música: Weatherman - Sub7even

publicado por Alma às 18:20
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 18 de Junho de 2008

Amiga

Obrigado pelos momentos de mútuas confidências
Quão gratificante é saber que existem pessoas assim
Magnífico é o mundo que desfruta da tua existência
Anseio vivamente que a nossa amizade jamais tenha fim

sinto-me: com sorte

publicado por Alma às 01:16
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Terça-feira, 17 de Junho de 2008

Escurecer

A vida parece esmorecer
Derivando longe a cada dia
Perdendo-se dentro do meu ser
Nada importa, mais ninguém
Eu perdi o desejo de viver
Simplesmente nada mais a dar
Não há nada mais para mim
Preciso do fim para me libertar

As coisas não são como costuvam ser
Falta algo dentro de mim
Mortalmente perdido, isto não pode ser real
Não posso suportar este inferno que sinto em mim
O vazio preenche-me
Ao ponto da agonia
As trevas crescem tomando a aurora
Eu era eu, mas agora ele foi-se

Ninguém além de mim pode salvar-me, mas é tarde demais
Agora não posso pensar, pensar por que eu deveria ao menos tentar

O ontem parece nunca ter existido
A morte acolhe-me ardentemente, agora eu vou dizer apenas adeus

 

música: Fade to Black - Metallica

publicado por Alma às 03:19
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Sexta-feira, 6 de Junho de 2008

Interdito a gajas hetero

Pois é, hoje tenho mesmo de lavar as vistinhas dos Gajos leitores e lésbicas.

A minha amiga Teia d'Aranha prometeu, algures num dos seus magníficos posts, que nos presentearia com tais regalos. Confirma-se que a teia é de rato, talvez consequência do queijo que enfarda. Talvez seja por isso que já não a visito. Deixa um gajo a salivar e depois desmarca-se assim.

Chega de conversa e vamos ao que interessa. Gajos e lésbicas, peguem numa cervejola e desfrutem destas criaturas esculpidas por dEUS em dia de inspiração.

sinto-me: com dores nos...
música: what you are - audioslave

publicado por Alma às 02:30
link do post | comentar | ver comentários (23) | favorito
Quinta-feira, 5 de Junho de 2008

A forma ideal de morrer

Há variadas formas de morrer. Morrer de amor, de ódio, de doença, de acidente, de overdose, de frio, de calor, de velhice, de medo, de inveja, de vergonha, de saudade, de ciúme, de causas naturais, de pé ou não, e até assassinado. Mas morrer de rir, no verdadeiro sentido da palavra, ainda não tinha visto.

Divirtam-se ao estilo de Monty Python.

 

 

sinto-me: a morrer de rir
música: bullet with butterfly wings - the smashing pumpkins

publicado por Alma às 02:47
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Domingo, 18 de Maio de 2008

Novo visual

Sejam bem-vindos à inauguração do novo visual aqui do tasco.

Depois de dois meses de trabalho árduo, eis que cheguei à versão definitiva do visual do blog. Tentei criar uma imagem que fosse a minha cara, simples, modesto e..... negro. Visto sempre de preto, o maço de tabaco é preto, o isqueiro é preto, o telemóvel é preto, a cadela é preta, o carro é preto, o computador é preto, a moto é preta, o capacete é preto, a gaja é... branca... hummmmm...... estará na hora de trocar? Acho que não trocava por uma preta. Não são o meu estilo. Apesar de haver pretas bem boas...... hummmmm.....

Adiante

Deixem as vossas opiniões acerca do visual. Sejam sinceros (ok, mas não exagerem) e digam de vossa justiça.

P.S. 1: A minha alma também é negra...

P.S. 2: Já está disponível uma caixinha de chat onde podem falar comigo.

 

 

sinto-me: renovado
música: porcelina of the vast oceans - smashing pumpkins

publicado por Alma às 02:51
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Quarta-feira, 14 de Maio de 2008

Activo ou passivo

Venho hoje escrever sobre aquele acto sexual fiscal que todos os anos temos com as Finanças Portuguesas. Aquele que até nos faz urticária só de ouvir o seu nome. Desculpem mas tenho de escrever o nome em minúsculas para nos coçarmos menos. Pois é, o i.r.s.

Ontem estive a preencher a minha declaração. Aquela que reconhece claramente que somos fdds nos impostos, e faz questão de nos lembrar que pratica actos da mesma natureza com a Gaja que vive cá em casa.

No campo da identificação dos contribuintes, onde devemos escrever os nossos nomes, em vez de dizer “Nome do contribuinte A:”, diz “Sujeito passivo A:”, que sou eu. Onde tenho de identificar a Gaja, em vez de dizer “Nome do contribuinte B:”, diz “Sujeito passivo B:”.

Ora, aqui, já se percebe que as Finanças se assumem como o sujeito activo neste acto sexual fiscal.

Proponho aqui, a criação de um “abaixo-assinado” a requerer ao Ministério das Finanças que, na declaração do referido imposto para o ano de 2008 a apresentar em 2009, seja alterado o campo em causa para “Contribuinte A:” e “Contribuinte B:”. É isso que eu faço, contribuir. Assim, o contribuinte não se sentirá tão enrrabado revoltado com os impostos.

sinto-me: fodido
música: Deep Purple - Made in Japan

publicado por Alma às 16:25
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Quinta-feira, 24 de Abril de 2008

Mulheres ao volante... Que Deus me perdoe...

As mulheres são mesmo básicas. Até para fazer tarefas simples como conduzir um simples carro é um quebra-cabeças. Olhem que eu digo isto com conhecimento de causa, pois sou Instrutor de Condução e ainda por cima tenho cá em casa uma gaja que pensa que conduz. Quando sai com o Porsche, a rua perde o pavimento. Porque será?

Vou contar-vos um episódio que se passou comigo há algum tempo.

A Dª Rosa, senhora dos seus quarenta-e-picos, no decorrer de uma aula queria carregar nos pedais com as mãos...... sim com as mãos. Não bastava o facto de ter de aturar gajas azelhas ao volante, e agora sai-me uma maluca. Ele há cada uma...

Depois dela ter tirado a carta, enviou-nos um excerto do seu diário o qual passo a transcrever:

«Querido diário...

Hoje é dia 7 de Janeiro e passei no exame de condução! Posso agora conduzir o meu próprio automóvel, sem ter de ouvir as recomendações do G, sempre a dizer-me " por ai é sentido proibido!" "Vamos em contramão!", "Olha a velhinha! Trava! Trava!", e outras coisas do género.
Nem sei como aguentei estes últimos quatro anos e meio...

8 de Janeiro
A Escola fez-me uma festa de despedida. Os instrutores nem sequer deram aulas. O G disse que ia à missa, julgo que vi a CC com lagrimas nos olhos e todos disseram que iam embebedar-se, para comemorar.
Achei simpática a despedida, mas penso que a minha carta não merecia tal exagero.

12 Janeiro
Comprei carro, infelizmente tive que deixar o carro no concessionário, para substituir o pára-choques traseiro, pois quando tentei sair, meti marcha-atrás em vez de primeira. Deve ser falta de prática. Ha dois dias que não conduzia!

14 Janeiro
Já tenho o carro. Fiquei tão feliz ao sair do "Stand", que resolvi dar um passeio. Parece que muitos outros tiveram a mesma ideia, pois fui seguida por inúmeros automóveis, todos a buzinar como num casamento. Para não parecer antipática, entrei na brincadeira e reduzi a velocidade de 10 para 5 à Hora. Os outros gostaram buzinando ainda mais.

22 de Janeiro
Os meus vizinhos são impecáveis. Colocaram posters avisando em grandes letras: "ATENÇÃO ÀS MANOBRAS ", marcaram com tinta branca um lugar bem espaçoso para eu estacionar e proibiram os filhos de sair a rua enquanto durassem as manobras. Pensam em tudo para não me perturbarem.
Ainda há gente boa neste mundo...

31 de Janeiro
Os outros automobilistas estão sempre a buzinar e acenar-me. Acho isso simpático, embora um pouco perigoso. É que um deles apontou para o céu com o dedo espetado. Quando procurei ver o que me apontava, quase bati.
Valeu que eu ia a minha velocidade de cruzeiro de 10 à Hora.

10 de Fevereiro
Os outros automobilistas tem hábitos estranhos. Para além de acenarem muito, estão sempre a gritar. Não os ouço, por ter os vidros fechados, mas julgo que me querem dar informações. Digo isto porque julgo ter percebido um a dizer "Vai para Casa ". A ser verdade, é espantoso. Não sei como ele adivinhou para onde eu ia.
De qualquer modo, quando eu descobrir onde fica o botão de abrir os vidros vou tirar muitas dúvidas.

19 de Fevereiro
A Cidade é muito mal iluminada. Fiz hoje a minha 1ª condução nocturna e tive de andar sempre nos máximos, para ver convenientemente. Todos os automobilistas com quem me cruzei pareciam concordar comigo, pois também ligaram os máximos e alguns chegaram mesmo a acender outros faróis que tinham.
Só não percebi a razão das buzinadelas. Talvez para espantar qualquer cão ou gato. Sei lá.

26 de Fevereiro
Hoje tive um acidente. Entrei numa rotunda, e como havia muitos automóveis (não quero exagerar, mas deviam ser, no mínimo, uns quatro), não consegui sair. Fui dando voltas bem juntinho ao centro, à espera de uma oportunidade, de tal forma que acabei por ficar tonta e fui chocar com o monumento ao centro da rotunda.
Acho que deviam limitar a circulação nas rotundas a um carro de cada vez.

3 de Março
Estou em maré de azar. Fui buscar o carro à oficina e, logo a saída troquei os pés, acelerando a fundo em vez de travar. Abalroei um carro que ia a passar, amassando-lhe todo o lado direito. O automobilista era, por coincidência, o engenheiro que me fez o exame de condução. Um bom homem, sem duvida. Insisti em dizer-lhe que a culpa era minha, mas ele educadamente, não parava de repetir:
"Que Deus me perdoe! Que Deus me perdoe!".»

 

 

.

sinto-me: perito em condução
música: Black Sabbath - Master of Reality

publicado por Alma às 23:46
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Segunda-feira, 21 de Abril de 2008

Rabugento

Hoje estou rabugento. Sim porque um gajo ao fim de 7 anos também tem direito à sua rabugisse e dar cabo do juízo à Gaja que habita cá em casa. Não me refiro à mini-Gaja, mas sim à Gaja. A mini-Gaja está quase sempre desculpada por natureza, mas a Gaja, como me tem massacrado o juízo dia sim, dia não durante 7 anos, não lhe custa nada aturar-me um ou dois dias de vez em quando. É justo. Afinal de contas eu e a mini-Gaja aturamo-la quase todos os dias com o seu mau humor.

Imaginem que quando ela manda pede alguma coisa, tenho de parar imediatamente o que estiver a fazer, para cumprir as ordens satisfazer os pedidos se Sua Excelência. Passo a explicar: Se eu estiver sentado na sanita naqueles momentos diários de relax, e ela grita diz: “Gajo anda cá…..” eu tenho de ir imediatamente de calças na mão, mesmo com ele ainda pendurado, sob pena de cair o Carmo e a Trindade, para chegar ao pé dela e dizer-me que anda uma mosca na cozinha, ou então que quer o CD com a música que está a passar na TV ou que tenho de ir à padaria comprar pão para o jantar…… Ou então, se for ela que esteja na sanita e se tenha esquecido de ver primeiro se tem papel (quem vai ao mar avia-se em terra) e grita pede “Gajo traz-me papel”, eu tenho de largar tudo e correr os 100 metros barreiras por cima da mini-Gaja e seus brinquedos, da cadela que mede 1,60m com 70Kg, das mesas e cadeiras, voar em triplo salto mortal por cima do sofá, correr em direcção à dispensa, abrir a porta, pegar num rolo, subir as escadas de 3 em 3 degraus, correr para a casa de banho e fazer a entrega dizendo “pega querida”, ao que ela diz: “não era este, era o que tem perfume a rosas seu incompetente”…. Nunca percebi para que serve o raio do papel perfumado se ele acaba sempre a cheirar a merda dentro da sanita. Enfim, vidinha de gajo nesta casa é difícil.

 

sinto-me: RABUGENTO
música: Soundgarden - Superunknown
tags: ,

publicado por Alma às 02:54
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Domingo, 6 de Abril de 2008

O Padre J.

Hoje vou falar-vos do Sr. Padre cá do sítio.

Esta pacata terra raiana, junto a paragens de nuestros hermanos, tem um padre. Á pois é! E o Senhor Prior não gosta dos espanhóis, diz que são furretas e não contribuem para a colecta feita durante a Santa Missa.

Há umas semanas atrás, numa qualquer manhã de Domingo, o Padre J. dá inicio ao sermão na sua igreja meia cheia - meia vazia, em que a percentagem de fiéis era de 60% portugueses (incluindo o presidente da Junta e sua família, o Zé do Talho com a sua esposa, o Padeiro, o Manel da Tasca, O Domingos Construtor Civíl, etc..), e diz:

-"Irmãos estamos hoje aqui reunidos para falar dos Fariseus... Aquele povo desgraçado como esses espanhóis que estão aqui..."

Ohhhhhhh !!!! O maior tumúlto tomou conta da igreja. Os espanhóis ofenderam o padre, houve porrada na porta da igreja.
O presidente da junta levou as mãos à cabeça, indignado.
Acabada a confusão, o presidente da junta foi falar com o padre na sacristía e disse:

-"Sr. Padre, vá devagar, os espanhóis vêm para este lado, gastam nas lojas, nos restaurantes, trazem divisas para a Portugal. Não faça mais provocações."

Durante a semana a conversa em toda a Parvónia centrava-se no mesmo: o padre e o sermão do Domingo. Aquele zum-zum todo fez com que as pessoas ficassem curiosas e a querer saber mais sobre o que tinha acontecido.

Finalmente, chega o domingo.
O presidente da junta, antes do início da missa, foi à sacristía falar com o padre:

- "Padre, o senhor lembra-se da nossa conversa, não? Por favor, não arranje nenhum problema hoje, ok?"

Começada a missa, o padre vai directo ao sermão e diz:


-"Irmãos... Estamos aqui reunidos, hoje, para falar de uma pessoa da Bíblia:
Maria Madalena. Aquela mulher, a prostituta que tentou Jesus, como essas espanholas que aqui estão..."

Caldeirada geral: pancadaria na igreja, partiram velas nos corredores, chapadas, socos etc... e só não houve internamentos no SAP porque o mesmo foi fechado por ordem do governo.

O presidente da junta foi novamente ter com o padre e disse:

- "Padre, o senhor não me disse que desta fez iria com mais calma? ... se o senhor não cessar as provocações aos espanhóis, vou escrever uma carta ao Bispo e pedir a sua imediata exoneração.

Naquela semana, o tumúlto foi ainda maior. Ninguém iria perder a missa do próximo domingo nem que a vaca tossisse.

Na manhã de Domingo, o presidente da junta entra na sacristia com o Guarda Bigodes e adverte o padre:

- "Sr. Padre, desta vez não provoque, senão acuso-o de provocação de tumúlto e vai dentro!!"

A igreja estava a abarrotar. Quase não se conseguia respirar de tanta gente, só que desta vez, as percentagens de fiéis foi diferente: 106% portugueses contra 113% espanhóis (sim porque os 119% que sobram estavam do lado de fora da igreja)

Começa o sermão :

- "Irmãos... Estamos aqui reunidos hoje, para falar do momento mais importante da vida de Cristo: a Santa Ceia"

Desta vez o presidente da junta respirou de alívio...
E prossegue o Padre J.:

- "Jesus, naquele momento, disse aos apóstolos :

-'Esta noite, um de vocês me trairá.'
Então João pergunta:
-'Mestre, sou eu?'

Jesus responde: 'Não, João, não serás tu'.
Pedro pergunta: 'Mestre, sou eu?'

Cristo responde: 'Não, Pedro, não serás tu.'
Então Judas pergunta: 'Mestre, soy Yo?...' "

Desde então o Padre J. vive no lar da Santa Sé, passando os dias em fisioterapia e outros tratamentos médicos.

sinto-me: no céu

publicado por Alma às 02:57
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 7 seguidores

.posts recentes

. Também quero morrer

. Repost - O dia mais solit...

. Estou grávida

. O tamanho é importante.

. País dos Cromos

. Criancinhas

. Era preferivel ter usado ...

. A Morte de Folga

. Férias forçadas

. Guerra Universitária

. Em Portugal

. Rodagem do filme "Fraquez...

. E ainda não viram nada...

. Rapei o cabelo

. Um dia destes mato-a

. Namorado atrasado

. Como um cão

. De que falam os homens?

. Hino Da Igreja Universal ...

. Violência policial

. Extraterrestres

. Manifesto anti-LOL

. Profissional do "sequesso...

. Mostra-me como viver

. Boa cumómilho...

. Por trás dos olhos azuis

. Bicicletas defeituosas

. Como é possível...

. Através dos olhos de rubi

. Como uma pedra

. O que tu és

. Serviço público

. Weatherman

. Amiga

. Escurecer

. Interdito a gajas hetero

. A forma ideal de morrer

. Novo visual

. Activo ou passivo

. Mulheres ao volante... Qu...

. Rabugento

. O Padre J.

.arquivos

. Junho 2009

. Maio 2009

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008